Espaço de textos, estudos, ensaios e opiniões do Pastor João Viegas

18
Fev 15

A Santa Ceia

A Ceia do Senhor

 

 “...Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou pão; e, havendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo que é por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo pacto no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim. Porque todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes do cálice estareis anunciando a morte do Senhor, até que ele venha...” (I Coríntios 11:23 a 26 )

 

A Santa Ceia (ou Ceia do Senhor) é uma cerimónia que foi instituída por Jesus, na sua última refeição com os discípulos (I Coríntios 11:23 ). Na verdade, simboliza isso mesmo, a refeição partilhada pelo Cristo sobre os que O seguem e amam. A importância que tem é tal, que Jesus chegou mesmo a dizer que a deveríamos de realizar em ‘memória d’Ele’.

 

Esta cerimónia tem 4 elementos: O coração limpo e reto diante de Deus; o Pão; o Vinho; a memória de Jesus, do Seu Amor e entrega por cada um de nós.

 

Para a igreja é uma cerimónia especial, onde o pão e o vinho, depois de ungidos, transformam-se em elementos divinos, para cura, libertação, paz, esperança. É o renovar de uma aliança com o Cristo, o Filho de Deus, que se entrega por nós, tomando o nosso lugar e a nós compete-nos (ao tomarmos o pão e o vinho como o seu Corpo e Sangue) tomar a responsabilidade de fazer desse sacrifício, algo frutífero, único, transformador e reconciliador com Deus.

 

Jesus não determinou o intervalo de realização desta cerimónia (anual, mensal, etc.), mas que a deveríamos de realizar até que Ele voltasse (I Coríntios 11:26 ).

 

Esta Cerimónia é intemporal e poderosa

A Ceia aponta para o passado

É um memorial da morte de Cris­to no Calvário e da sua ressurreição para redimir os crentes do Pecado e da condenação (Lucas 22:19). Através da Ceia do Senhor, lembramo-nos do que Cristo fez por nós e assim motivamo-nos a viver longe do pecado (I Tessalonicenses 5:22). Cristo, por nós, humilhou-se (Filipenses 2:5 a 8), entregou-se (João 11:17 e 18) e santificou-se (João 17:19). É um ato de acção de graças pelas bençãos e salvação da parte de Deus, provenientes do sacrifício de Jesus Cristo na cruz por nós (Marcos 14:23).

 

A Ceia é fundamental no presente

A Ceia do Senhor é um acto de comunhão com Cristo e com o Pai (I João 1:3 ) e com os demais membros do corpo de Cristo (I Coríntios 11:16 e 17). É o reconhecimento e a proclamação da Nova Aliança. Requer um auto-exame. Devemos participar da Ceia do Senhor numa atitude e conduta dignas. Somos pecadores, porém nascidos de novo (Efésios 4:23 a 25) e não podemos participar desta comunhão sem purificar-nos (I João 1:7 a 9). O crente não deve recusar-se a tomar a Ceia, mas esforçar-se por tomá-la em comunhão com Deus e com a igreja. Confessar e pedir perdão, a Deus, são o caminho para a restauração deste direito de cada crente.

 

A Ceia relaciona-se com o futuro

A Ceia do Senhor é uma antevisão do Reino futuro de Deus e do seu banquete messiânico, quando então, todos os crentes estiverem presentes com o Senhor (Mateus 8:11 ; Marcos 14:25). Antevê a volta iminente de Cristo para buscar o seu povo e encena a oração: “...Venha o teu Reino...” (Mateus 6:11).

 

Deus abençoe!

Pst. João Viegas

 

publicado por Jv às 01:23

mais sobre mim
Setembro 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


arquivos
posts recentes

A Santa Ceia

subscrever feeds
pesquisar