Espaço de textos, estudos, ensaios e opiniões do Pastor João Viegas

18
Fev 15

A Santa Ceia

A Ceia do Senhor

 

 “...Porque eu recebi do Senhor o que também vos entreguei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou pão; e, havendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo que é por vós; fazei isto em memória de mim. Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo pacto no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que o beberdes, em memória de mim. Porque todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes do cálice estareis anunciando a morte do Senhor, até que ele venha...” (I Coríntios 11:23 a 26 )

 

A Santa Ceia (ou Ceia do Senhor) é uma cerimónia que foi instituída por Jesus, na sua última refeição com os discípulos (I Coríntios 11:23 ). Na verdade, simboliza isso mesmo, a refeição partilhada pelo Cristo sobre os que O seguem e amam. A importância que tem é tal, que Jesus chegou mesmo a dizer que a deveríamos de realizar em ‘memória d’Ele’.

 

Esta cerimónia tem 4 elementos: O coração limpo e reto diante de Deus; o Pão; o Vinho; a memória de Jesus, do Seu Amor e entrega por cada um de nós.

 

Para a igreja é uma cerimónia especial, onde o pão e o vinho, depois de ungidos, transformam-se em elementos divinos, para cura, libertação, paz, esperança. É o renovar de uma aliança com o Cristo, o Filho de Deus, que se entrega por nós, tomando o nosso lugar e a nós compete-nos (ao tomarmos o pão e o vinho como o seu Corpo e Sangue) tomar a responsabilidade de fazer desse sacrifício, algo frutífero, único, transformador e reconciliador com Deus.

 

Jesus não determinou o intervalo de realização desta cerimónia (anual, mensal, etc.), mas que a deveríamos de realizar até que Ele voltasse (I Coríntios 11:26 ).

 

Esta Cerimónia é intemporal e poderosa

A Ceia aponta para o passado

É um memorial da morte de Cris­to no Calvário e da sua ressurreição para redimir os crentes do Pecado e da condenação (Lucas 22:19). Através da Ceia do Senhor, lembramo-nos do que Cristo fez por nós e assim motivamo-nos a viver longe do pecado (I Tessalonicenses 5:22). Cristo, por nós, humilhou-se (Filipenses 2:5 a 8), entregou-se (João 11:17 e 18) e santificou-se (João 17:19). É um ato de acção de graças pelas bençãos e salvação da parte de Deus, provenientes do sacrifício de Jesus Cristo na cruz por nós (Marcos 14:23).

 

A Ceia é fundamental no presente

A Ceia do Senhor é um acto de comunhão com Cristo e com o Pai (I João 1:3 ) e com os demais membros do corpo de Cristo (I Coríntios 11:16 e 17). É o reconhecimento e a proclamação da Nova Aliança. Requer um auto-exame. Devemos participar da Ceia do Senhor numa atitude e conduta dignas. Somos pecadores, porém nascidos de novo (Efésios 4:23 a 25) e não podemos participar desta comunhão sem purificar-nos (I João 1:7 a 9). O crente não deve recusar-se a tomar a Ceia, mas esforçar-se por tomá-la em comunhão com Deus e com a igreja. Confessar e pedir perdão, a Deus, são o caminho para a restauração deste direito de cada crente.

 

A Ceia relaciona-se com o futuro

A Ceia do Senhor é uma antevisão do Reino futuro de Deus e do seu banquete messiânico, quando então, todos os crentes estiverem presentes com o Senhor (Mateus 8:11 ; Marcos 14:25). Antevê a volta iminente de Cristo para buscar o seu povo e encena a oração: “...Venha o teu Reino...” (Mateus 6:11).

 

Deus abençoe!

Pst. João Viegas

 

publicado por Jv às 01:23

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


mais sobre mim
Fevereiro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28


arquivos
subscrever feeds
pesquisar