Espaço de textos, estudos, ensaios e opiniões do Pastor João Viegas

05
Fev 08
“...tomando, sobretudo, o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno...” (Efésios 6:16)
 
Egipto, 1968, cidade de Asyut. Em pouco mais de 6 dias, Deus estava a operar um tremendo avivamento através de uma campanha evangelística liderada por um jovem de pouco mais de 30 anos. Das 30 pessoas na primeira reunião às 6000 da reunião passada, estavam milhares de salvações e vidas transformadas pelo meio.
O governador da cidade não estava nada satisfeito, pois tinha o relatório de que os bares, cinemas, casas de prostituição e casinos estavam ‘às moscas’. Toda a cidade estava a entregar a vida a Jesus. Então, na sétima reunião da Campanha, cerca de 12000 pessoas estavam num descampado, ao ar-livre, à espera que a reunião se iniciasse. 6000 homens de um lado, uma cortina no meio e 6000 mulheres do outro (crianças não foram contabilizadas), esperavam anciosamente por um toque de Jesus.
Enquanto esse jovem subia ao palco, surgiu a notícia que o governador tinha proibido o uso da aparelhagem sonora e que se ele quisesse realizar a reunião na mesma, arriscava-se a ser fuzilado pelos soldados do governador. Este jovem, lembrando-se de que Deus era com ele, subiu as escadas do palanque e deu início à reunião com louvor. Quando ele, mais tarde, iniciou a pregação, 12 soldados, vindos das coxias, correram para a área de ministrar e ajoelhando-se, apontaram as espingardas para ele.
As mulheres choravam e gritavam. Os homens hesitavam sobre se deviam agarrar os soldados, ou não. Naquele momento, o pregador disse: “Soldados, vocês podem-me matar agora, mas por cada bala que dispararem sobre mim, 100 pessoas se levantarão no meu lugar, para fazer o meu trabalho. E se Deus o permitir, podem disparar agora.” Havia um poder tremendo naquele lugar. Uma unção de Deus poderosa. Os Soldados simplesmente paralizaram até que um por um deixaram cair a espingarda, se arrependeram e entregaram a sua vida a Jesus, juntamente com outras 1200 pessoas, naquela noite.
O governador acabou expulso daquela cidade e aquela rua, que dá para aquele terreno, ainda hoje se chama ‘Rua do Avivamento’. Talvez você esteja ainda a subir as escadas para o palanque, ou já tenha as espingardas apontadas contra si, mas lembre-se que quando não duvidamos do nosso Deus e de quem somos, nada nos poderá suceder, nada nos poderá atingir. Agarre-se a Deus e exercite a sua Fé, até perder todas as dúvidas.
Deus abençoe
Pst. João Viegas
publicado por Jv às 18:00
música: A Deus, toda a Glória!

“...sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver, que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com precioso sangue, como de um cordeiro sem defeito e sem mancha, o sangue de Cristo, o qual, na verdade, foi conhecido ainda antes da fundação do mundo, mas manifesto no fim dos tempos por amor de vós...” (I Pedro 1:18 a 20)
 
Certa vez um pregador Sueco estava de visita à Escócia. Resolveu os assuntos que tinha a resolver e decidiu gastar o tempo que lhe restava, antes da viagem de regresso, em visitar o seu pregador predilecto, Charles Spurgeon. Spurgeon, um pregador muito conceituado, era considerado como o 'pincípe dos pregadores'.
Foi a casa dele, bateu à porta e o empregado de Spurgeon disse-lhe o que ele não esperava ouvir: “Desculpe-me, mas hoje é 2.ª Feira, e o sr. Spurgeon nunca recebe ninguém à 2.ª Feira”. Aquele pregador Sueco ficou chocado, mas insistiu mais 3 vezes, explicando que partiria naquele dia e que gostava muito de falar com Spurgeon e de ser abençoado por ele. A resposta de Spurgeon foi: “Nem que fosse um anjo, hoje eu não o receberia!” Aquele pregador respondeu ao mordomo: “Pois diga ao Pst. Spurgeon, que eu sou mais que um anjo!”
Rendido às evidências, Spurgeon recebeu-o e abençoou-o. Será que você sabe o valor que tem? Sabe a importância que tem? Então entenda hoje, que você é mais valioso que os anjos, que nem que fosse só por si, Jesus voltaria à cruz para morrer e derramar o Seu Sangue e lhe dar a salvação.
Deus abençoe
Pst. João Viegas
publicado por Jv às 12:00
música: Nós estamos em terra santa

“...para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. E eu lhes dei a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um...” (João 17:21 e 22)
 
Conto-vos uma história de F. B. Meyer, grande professor da Bíblia e Pastor que viveu à mais de um século atrás. Ele pastoreava uma Igreja e começou a notar que a assistência estava a baixar. Isto continuou até ele finalmente ter perguntado a alguns membros da sua congregação, o que eles achavam que se estava a passar. Alguém disse: "é por causa daquela nova Igreja no fim da rua. Um jovem pregador tem toda a gente a falar nele e muitos estão a ir ouvi-lo pregar". O seu nome era Charles Spurgeon.
Meyer, na vez de procurar desencorajar isto, exortou a sua congregação a juntar-se a ele e a ir às reuniões de Spurgeon, para ver o mover de Deus. Ele disse: "Se isto está a acontecer, então Deus tem que estar neste trabalho". Meyer, embora sabendo quem era e qual a sua chamada, reconheceu onde Deus estava a trabalhar e juntou-se a Ele no trabalho de Spurgeon.
Você imagina isto a acontecer nos dias de hoje? Está na hora de tomarmos o exemplo de F. B. Mayer para nós e reconhecermos o plano de Deus na nossa vida e na vida dos outros.
Deus abençoe
Pst. João Viegas
publicado por Jv às 06:00
música: Eu quero ser, Senhor amado, como um vaso...

mais sobre mim
Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
23

24
28


arquivos
subscrever feeds
pesquisar