Espaço de textos, estudos, ensaios e opiniões do Pastor João Viegas

14
Mar 08
Praticamente nada é mais esclarecedor do que o testemunho de moribundos. Mesmo mentirosos confessam então a verdade. Um olhar para o leito de morte revela muitas vezes mais do que todas as grandes palavras e obras em tempo de vida.
No momento em que pessoas se vêem confrontadas com a morte, muitas perdem suas máscaras e tornam-se verdadeiras. Muitos tiveram que reconhecer que edificaram sobre a areia, se entregaram a uma ilusão e seguiram a uma grande mentira.
Aldous Huxley escreve no prefácio do seu livro “Admirável Mundo Novo”, que se deveria avaliar todas as coisas como se estivessem sendo vistas do leito de morte.  “...Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio...” (Salmos 90:12), diz a Bíblia.
VOLTAIRE, o famoso zombador, teve um fim terrível. Sua enfermeira disse: “...Por todo o dinheiro da Europa, não quero mais ver um incrédulo morrer!...” Durante toda a noite ele gritou por perdão.
DAVID HUME, o ateu, gritou: “...Estou nas chamas!...” Seu desespero foi uma cena terrível.
HEINRICH HEINE, o grande zombador, arrependeu-se posteriormente. Ao final da sua vida, ele ainda escreveu a poesia: “...Destruída está a velha lira, na rocha que se chama Cristo! A lira que para a má comemoração, era movimentada pelo inimigo mau. A lira que soava para a rebelião, que cantava dúvidas, zombarias e apostasias. Senhor, Senhor, eu me ajoelho, perdoa, perdoa minhas canções!...”
De NAPOLEÃO escreveu seu médico particular: “...O imperador morre solitário e abandonado. Sua luta de morte é terrível...”
CESARE BORGIA, um estadista: “...Tomei providências para tudo no decorrer de minha vida, somente não para a morte e agora tenho que morrer completamente despreparado...”
TALLEYRAND: “...Sofro os tormentos dos perdidos...”
CARLOS IX (França): “...Estou perdido, reconheço-o claramente...”
MAZARINO: “...Alma, que será de ti?...”
HOBBES, um filósofo inglês: “...Estou diante de um terrível salto nas trevas...”
SIR THOMAS SCOTT, o antigo presidente da Câmara Alta inglesa: “...Até este momento, pensei que não havia nem Deus, nem inferno. Agora sei e sinto que ambos existem e estou entregue à destruição pelo justo juízo do Todo-Poderoso...”
GOETHE: “...Mais luz!...”
NIETZSCHE: “...Se realmente existe um Deus vivo, sou o mais miserável dos homens...”
LENINE morreu em confusão mental. Ele pediu pelo perdão dos seus pecados a mesas e cadeiras. À nossa juventude revolucionária se assegura insistentemente e em alta voz, que isso não é verdade. Pois seria desagradável, ter que admitir que o ídolo de milhões se derrubou a si mesmo de maneira tão evidente.
SINOWYEW, o presidente da Internacional Comunista, que foi fuzilado por Stálin: “...Ouve Israel, o Senhor nosso Deus é o único Deus...”
CHURCHILL: “...Que tolo fui!...”
YAGODA, chefe da polícia secreta russa: “...Deve existir um Deus. Ele me castiga pelos meus pecados...”
YAROSLAWSKI, presidente do movimento internacional dos ateus: “...Por favor, queimem todos os meus livros. Vejam o Santo! Ele já espera por mim, Ele está aqui...”
JESUS CRISTO: “...Está consumado...”
ALEXANDER FLEMING: No leito de morte, os seus colegas perguntaram-lhe qual tinha sido a sua maior descoberta, em toda a sua vida. Pensando tratar-se da Penicilina, chegaram-se todos perto da cama, onde ele se encontrava, para o ouvirem dizer: "...A minha maior descoberta é que eu sou um pecador e que Jesus Cristo me perdoou de todos os meus pecados..."
Voltaire, David Hume e outros, certamente teriam rido ou zombado, se em tempo de vida se explicasse a eles, que sem Jesus Cristo estariam eternamente perdidos. Apesar disso, eles tiveram que reconhecer que isso é verdade e que a Bíblia tem razão ao dizer: “...E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez e, depois disto, o juízo...” (Hebreus 9:27).
Como você morrerá? Será muito tarde também para você? Quais serão suas últimas palavras?
Caro amigo, temos que dizer-lhe, quer queira aceitá-lo ou não: Sem Jesus e sem o perdão dos pecados através do Seu sangue, você está perdido.
Diante do Deus Santo, você está absoluta, total e eternamente perdido. Se você acha que com a morte tudo acaba, pertence às pessoas mais enganadas. Existe somente um que pode salvá-lo: JESUS CRISTO.
Você acha realmente, que os homens anteriormente citados representaram uma comédia piedosa quando chegou o fim? Sem ter paz com Deus, a morte é uma terrível realidade, da qual o mundo foge. Não se gostaria de ouvir nada a respeito, ela é afastada dos pensamentos. Mas será que a política da avestruz é uma solução inteligente?
Você quer saber? — Se vier com seu coração a Jesus Cristo e realmente quiser paz com Deus, você pode dizer esta oração: “...Senhor Jesus, por favor, perdoa toda a minha culpa e meus pecados, minha rebelião e minha vida própria. Agradeço-te porque morreste por mim e pagaste com teu sangue o preço pelos meus pecados. Por favor, entra agora em minha vida. Abro-te a porta do meu coração e te peço que a partir de agora sejas meu Senhor. Agradeço, porque me ouves e aceitas...”
O que importa não é a formulação, mas a atitude do coração. Jesus diz: “...O que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora...” (Joao 6:37). Unicamente Jesus tirou o poder da morte.
Você pode agora passar por cima disso, seguro de si e com um sorriso, afastando dos seus pensamentos o que acabou de ler. Mas, mesmo assim, você não poderá fugir da morte. E então? “...Dá-me a conhecer, Senhor, o meu fim, e qual a soma dos meus dias, para que eu reconheça a minha fragilidade. Deste aos meus dias o comprimento de alguns palmos; à tua presença o prazo da minha vida é nada. Na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é pura vaidade...” (Salmos 39:4-5). Por isso, o profeta Amós também diz: “...Prepara-te (...), para te encontrares com o teu Deus...” (Amós 4:12).
Alexander Seibel
publicado por Jv às 10:21

mais sobre mim
Março 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
28
29

30
31


arquivos
pesquisar