Espaço de textos, estudos, ensaios e opiniões do Pastor João Viegas

16
Set 11

LIBERDADE TOTAL!!!

Libertando-se do jugo na sua vida

 

 

 

"...Naquele tempo falou Jesus, dizendo: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim foi do teu agrado. Todas as coisas me foram entregues por meu Pai; e ninguém conhece plenamente o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece plenamente o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a mim, todos os que estai cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo e leve..." (Mateus 11:25 a 30)

 

 

ONDE ESTÁ O NOSSO DEUS?

Em momentos de aflição, jugo, maus-tratos e dificuldades, temos por hábito perguntarmo-nos onde anda o nosso Deus. A Palavra é muito clara, no que toca a este assunto: Ele nunca nos abandona!

 

“...Ninguém te poderá resistir todos os dias da tua vida. Como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei, nem te desampararei...” (Josué 1:5)

 

Por vezes Deus permite que certas circunstâncias surjam na nossa vida, para ver se somos assim tão honestos e sinceros, quanto falamos. Por isso, vem à nossa vida a dificuldade, a circunstância adversa, a tempestade, o jugo e a opressão. Mas não é por castigo. Deus conhece bem a lei do ‘semear para colher’ e por isso Ele não precisa de castigar ninguém. E para além disso, Ele é amor. Nem é para sempre! A circunstância adversa, o jugo, a opressão e a dificuldade, vem para nos melhorar, aperfeiçoar, limpar das impurezas (como um fogo), ou seja, para o nosso bem.

 

“...E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito..." (Romanos 8:28)

 

E Deus promete que nos ajudará a passar por esse período, que costumamos apelidar de Deserto. Ele protege-nos, defende-nos, ajuda-nos, livra-nos e só nos tenta até onde conseguimos aguentar.

 

“...Os justos clamam, e o Senhor os ouve, e os livra de todas as suas angústias. Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito. Muitas são as aflições do justo, mas de todas elas o Senhor o livra...” (Salmo 34:17 a 19)

 

“...Não vos sobreveio nenhuma tentação, senão humana; mas fiel é Deus, o qual não deixará que sejais tentados acima do que podeis resistir, antes com a tentação dará também o meio de saída, para que a possais suportar...” (I Coríntios 10:13)

 

E nesse período temos algo a fazer: Aprender, Orar e humilharmo-nos diante de Deus.

 

 

NO DESERTO: APRENDER!

No deserto não há nada. Há areia, pedras, répteis e um sol abrasador de dia e um frio enregelador de noite. Não há conforto, não há excessos, não há roupas caras, não há carros topo de gama, não há fartura, nem variedade. Mas há algo de muito mais valioso: o renascer da nossa alma e do nosso espírito. Se estava corrompido, fica são. Se estava cauterizado, fica sarado. Se estava ferido, fica como novo. Se estava orgulhoso e vaidoso, torna-se humilde. Se estava longe de Deus, certamente aproximar-se-á d’Ele. No deserto não há interferências entre nós e Deus. Podemos chegar bem perto d’Ele. E é nessa fase que temos de aprender. Aprender com Deus, com a Palavra, com os nosso erros, com os erros dos outros. Aprender a chegar perto de Deus, a depender d’Ele, a não saber viver sem Ele. Aprender a amar os outros, a viver a fazer bem aos outros e a saber perdoar. Aprender, aprender, aprender. Mas acima de tudo, aprender algo, que é só para si e para mais ninguém.

 

“...Vinde a mim, todos os que estai cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo e leve...” (Mateus 11:28 a 30)

 

NO DESERTO: ORAR!

Como podermos aproximarmo-nos de Deus e receber d’Ele o carimbo de mudança e de transformação, se não tivermos comunhão com Ele? Comunhão íntima! Aproximação forte e diálogo com Deus? Como poderá aprender a ouvir a voz de Deus, se não for em oração? E como aprenderá de Deus, se não houver intimidade com Ele? E como haverá intimidade com Deus, se não O conhecer? Dedique-se à oração. Mas não faça orações repetitivas, repetições vãs. Não faça orações, só porque lhe ensinaram que eram importantes. E até podem ser, como a oração do ‘Pai Nosso’, mas certamente perderá valor e força, se você a fizer mecanicamente. Não surtirá efeito! Procure-O! Busque-O! Deseje-O! Clame por Ele! Chore por Ele! Anseie por Ele! E só assim, você poderá crescer neste segundo passo.

 

“...Assim diz o Senhor que faz isto, o Senhor que forma isto, para o estabelecer; o Senhor é o seu nome. Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas, que não sabes...” (Jeremias 33:2 e 3)

 

“...Todavia ainda agora diz o Senhor: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes; e convertei-vos ao Senhor vosso Deus; porque ele é misericordioso e compassivo, tardio em irar-se e grande em benignidade, e se arrepende do mal...” (Joel 2:12 e 13)

 

 

NO DESERTO: HUMILHARMO-NOS!

No deserto, é lugar para humilharmo-nos, mas não diante de homens. É lugar para pedir perdão, para perdoar, para libertar mágoas, para arrancar raízes de amargura, para ultrapassar ressentimentos. Mas não é lugar para sermos humilhados e maltratados por nenhum homem, mesmo que este se intitule como ‘homem de Deus’ ou autoridade. Autoridade não é para humilhar, nem tornar os que nos rodeiam de subservientes. Autoridade é para trazer organização e compostura ao Reino de Deus, mas de forma a não pisar ninguém, nem ‘deitar ninguém fora’, nem fazê-los descambar para os caminhos do inferno. Hoje em dia, em algumas Igrejas, existe o hábito de tratar as autoridades como infalíveis, inantingíveis, perfeitas. Mas só há um assim: JESUS! Nenhum homem, em autoridade ou não, é perfeito. Todos somos humanos e temos falhas. Por isso, a autoridade é muita responsabilidade. Quando nos humilhamos aos homens, perdemos a dignidade, perdemos o sabor da vida, ficamos presos por salários, por títulos, ficamos acorrentados a mentiras e esquemas, a ameaças de maldições e a ameaças de acções em tribunal e polícia.

 

Mas quando nos humilhamos perante Deus, então somos verdadeiramente LIVRES!

Porque Ele não nos amaldiçoa, nem nos chama de ‘rebeldes’, nem ‘lobos’, nem ‘cães’, nem ‘adúlteros’, nem pouco mais ou menos! Quando nos decidimos a amar a Deus e a servi-Lo numa Igreja livre (sem preconceitos, sem obrigações, sem exigir pagamento de uma quota para as pessoas poderem servir a Deus livremente, sem obrigar as pessoas a andar afastadas das famílias, casamentos e filhos para estar na Igreja a fazer número, ou a entregar todo o dinheiro que tem para satisfação de alguns líderes), a ter comunhão verdadeira com Deus e a ler a Palavra de Deus, então a nossa vida muda radicalmente e alcançamos a misericórdia de Deus, a Graça de Deus, a benevolência de Deus e todas as bençãos e promessas que Ele criou para nós! Aleluia!

 

Então, exorto todos os que lêm este texto que estão fartos de serem maltratados, humilhados e vexados, apenas porque amam a Deus, a procurarem a verdade nas vossas vidas e procurarem a voz de Deus nas vossas almas. Certamente Ele quererá que façam algo, conforme foi comigo. Eu também saí de um ministério assim, que caminha a passos largos para a auto-destruição e posso garantir que nunca fui tão abençoado por Deus. Ele promete devolver-nos tudo o que o homem nos possa ter tirado!

 

“...Humilhai-vos, pois, debaixo da potente mão de Deus, para que a seu tempo vos exalte; lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós...” (I Pedro 5:6 e 7)

 

“...Assim vos restituirei os anos que foram consumidos pela locusta voadora, a devoradora, a destruidora e a cortadora, o meu grande exército que enviei contra vós. Comereis abundantemente e vos fartareis, e louvareis o nome do Senhor vosso Deus, que procedeu para convosco maravilhosamente; e o meu povo nunca será envergonhado...” (Joel 2:25 e 26)

 

Não tema as maldições, nem as profecias (falsas), nem os ‘recados de Deus’ que nunca acontecem, nem nunca se tornam reais. Não se amedronte perante ameaças de tribunal ou de polícia, pois quem o faz é quem tem maior medo deles. Não receie que algo de mal lhe possa acontecer, ou à sua família, porque Deus é bem claro com relação a isso. Mude! Seja corajoso! Seja ousado! Seja determinado! Deseje mais para si e para a sua família! Salve a sua alma e a sua vida! Alcance LIBERDADE TOTAL!!!

 

“...Contra Jacó, pois, não há encantamento, nem adivinhação contra Israel...” (Números 23:23)

 

“...Não prosperará nenhuma arma forjada contra ti; e toda língua que se levantar contra ti em juízo, tu a condenarás; esta é a herança dos servos do Senhor, e a sua justificação que de mim procede, diz o Senhor...” (Isaías 54:17)

 

“...Não temerás os terrores da noite, nem a seta que voe de dia, nem peste que anda na escuridão, nem mortandade que assole ao meio-dia. Mil poderão cair ao teu lado, e dez mil à tua direita; mas tu não serás atingido. (...) nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda. Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. Eles te susterão nas suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra...” (Salmo 91:5 a 7, 10 a 12)

 

 

 

DEUS VOS ABENÇOE!

Pst. João Viegas

publicado por Jv às 01:14

mais sobre mim
Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


arquivos
pesquisar