Espaço de textos, estudos, ensaios e opiniões do Pastor João Viegas

05
Fev 08
“...tomando, sobretudo, o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do Maligno...” (Efésios 6:16)
 
Egipto, 1968, cidade de Asyut. Em pouco mais de 6 dias, Deus estava a operar um tremendo avivamento através de uma campanha evangelística liderada por um jovem de pouco mais de 30 anos. Das 30 pessoas na primeira reunião às 6000 da reunião passada, estavam milhares de salvações e vidas transformadas pelo meio.
O governador da cidade não estava nada satisfeito, pois tinha o relatório de que os bares, cinemas, casas de prostituição e casinos estavam ‘às moscas’. Toda a cidade estava a entregar a vida a Jesus. Então, na sétima reunião da Campanha, cerca de 12000 pessoas estavam num descampado, ao ar-livre, à espera que a reunião se iniciasse. 6000 homens de um lado, uma cortina no meio e 6000 mulheres do outro (crianças não foram contabilizadas), esperavam anciosamente por um toque de Jesus.
Enquanto esse jovem subia ao palco, surgiu a notícia que o governador tinha proibido o uso da aparelhagem sonora e que se ele quisesse realizar a reunião na mesma, arriscava-se a ser fuzilado pelos soldados do governador. Este jovem, lembrando-se de que Deus era com ele, subiu as escadas do palanque e deu início à reunião com louvor. Quando ele, mais tarde, iniciou a pregação, 12 soldados, vindos das coxias, correram para a área de ministrar e ajoelhando-se, apontaram as espingardas para ele.
As mulheres choravam e gritavam. Os homens hesitavam sobre se deviam agarrar os soldados, ou não. Naquele momento, o pregador disse: “Soldados, vocês podem-me matar agora, mas por cada bala que dispararem sobre mim, 100 pessoas se levantarão no meu lugar, para fazer o meu trabalho. E se Deus o permitir, podem disparar agora.” Havia um poder tremendo naquele lugar. Uma unção de Deus poderosa. Os Soldados simplesmente paralizaram até que um por um deixaram cair a espingarda, se arrependeram e entregaram a sua vida a Jesus, juntamente com outras 1200 pessoas, naquela noite.
O governador acabou expulso daquela cidade e aquela rua, que dá para aquele terreno, ainda hoje se chama ‘Rua do Avivamento’. Talvez você esteja ainda a subir as escadas para o palanque, ou já tenha as espingardas apontadas contra si, mas lembre-se que quando não duvidamos do nosso Deus e de quem somos, nada nos poderá suceder, nada nos poderá atingir. Agarre-se a Deus e exercite a sua Fé, até perder todas as dúvidas.
Deus abençoe
Pst. João Viegas
publicado por Jv às 18:00
música: A Deus, toda a Glória!

mais sobre mim
Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
23

24
28


arquivos
pesquisar